CID-10

Categoria Tripanossomíase africana

Código: B56

Descrição: Tripanossomíase africana

Abreviada: B56 Tripanossomiase africana

Grupo: Doenças devidas a protozoários

Capítulo: Capítulo I - Algumas doenças infecciosas e parasitárias

Subcategorias

Ver Grupos do CID-10

Definição

Tripanossomíase africana

Tripanossomíase africana, conhecida popularmente por doença do sono, é uma doença causada por parasitas e transmitida por insetos que afeta seres humanos e outros animais

A causa são parasitas protozoários da espécie Trypanosoma brucei

Existem dois tipos capazes de infetar seres humanos: Trypanosoma brucei gambiense (TbG) e Trypanosoma brucei rhodesiense (TbR)

O TbG é a causa de 98% dos casos documentados

Ambos os tipos são transmitidos pela picada de uma mosca tsé-tsé infetada

A doença é mais comum em áreas rurais

O primeiro estádio da doença tem início uma a três semanas após a picada

Neste primeiro estádio, os sintomas mais comuns são febre, dores de cabeça, comichão e dor nas articulações

Semanas a meses mais tarde tem início o segundo estádio

Os sintomas mais comuns são confusão, descoordenação do corpo, formigueiro e dificuldade em dormir

O diagnóstico é feito pela observação do parasita ao microscópio numa amostra de sangue ou de linfa

Em muitos casos é necessário proceder a uma punção lombar para determinar em que estádio está a doença

A prevenção das formas mais graves da doença consiste no rastreio da população em risco com análises ao sangue para a detecção de TbG

O tratamento é mais fácil quanto mais cedo for diagnosticada a doença e antes de ocorrerem sintomas neurológicos

O tratamento do primeiro estádio consiste na administração dos medicamentos pentamidina ou suramina

O tratamento do segundo estádio consiste na administração de eflornitina ou uma associação de nifurtimox e eflornitina para os casos de TbG

Embora o melarsoprol seja eficaz em ambos os estádios, geralmente só é usado para as infeções por TbR devido aos efeitos adversos potencialmente graves

Sem tratamento, a doença geralmente causa a morte

A doença é comum em algumas regiões da África subsariana, onde existem cerca de 70 milhões de pessoas em risco em 36 países

Estima-se que estejam atualmente infetadas cerca de 11 000 pessoas

Em 2015 ocorreram 2800 novos casos de infeção

No mesmo ano, a doença foi a causa de 3500 mortes, uma diminuição em relação às 34 000 em 1990

Mais de 80% dos casos ocorre na República Democrática do Congo

No último século e meio ocorreram três grandes surtos da doença: um entre 1896 e 1906 no Uganda e na bacia do Congo, e dois em 1920 e 1970 em vários países africanos

A doença está classificada como doença tropical negligenciada

Outros animais, como as vacas, podem ser portadores da doença e contrair a infeção, sendo que nesses casos é denominada tripanossomíase animal