CID-10

Categoria Sífilis precoce

Código: A51

Descrição: Sífilis precoce

Abreviada: A51 Sifilis precoce

Grupo: Infecções de transmissão predominantemente sexual

Capítulo: Capítulo I - Algumas doenças infecciosas e parasitárias

Subcategorias

Ver Grupos do CID-10

Definição

Sífilis

Sífilis é uma infecção sexualmente transmissível causada pela subespécie pallidum da bactéria Treponema pallidum

Os sinais e sintomas variam dependendo de qual dos quatro estádios em que se manifestam: primário, secundário, latente e terciário

O sintoma clássico do estádio primário é um sifiloma no local da infeção – uma úlcera na pele que é indolor, firme e não pruriginosa

No estádio secundário aparece uma erupção cutânea difusa, geralmente nas palmas das mãos e dos pés, e podem aparecer úlceras na boca ou na vagina

No estádio latente, que pode durar vários anos ou décadas, não se manifestam sintomas

No estádio terciário podem aparecer formações não cancerígenas denominadas gomas e sintomas neurológicos ou cardíacos

A sífilis pode causar sintomas semelhantes a várias outras doenças

A sífilis é transmitida principalmente através de contacto sexual

Pode também ser transmitida de mãe para filho durante a gravidez ou parto, causando sífilis congénita

Entre outras doenças humanas causadas por subespécies da bactéria Treponema pallidum estão a bouba (subespécie pertenue), pinta (subespécie carateum) e bejel (subespécie endemicum)

O diagnóstico é geralmente confirmado com análises ao sangue

A bactéria pode também ser detetada com microscopia de campo escuro

O rastreio é recomendado durante a gravidez

O risco de contrair sífilis pode ser diminuído com a utilização de preservativos de latex ou com a abstinência sexual

O tratamento com antibióticos é eficaz

O antibiótico de escolha na maioria dos casos é a penicilina G benzatina por via intramuscular

Em pessoas com alergia à penicilina, podem ser usadas doxiciclina e tetraciclina

Em pessoas com neurossífilis, é recomendada a administração de penicilina G potássica ou ceftriaxona

Durante o tratamento, as pessoas podem desenvolver febre, dores de cabeça e dores musculares, uma reação denominada Jarisch-Herxheimer

Em 2015, cerca de 45,4 milhões de pessoas estavam infetadas com sífilis, tendo-se no mesmo ano registado cerca de 6 milhões de novas infeções

Em 2015, a doença foi a causa de 107 000 mortes, uma diminuição em relação às 202 000 em 1990

Depois da prevalência ter diminuído drasticamente com a introdução da penicilina na década de 1940, desde o início do século XXI que as taxas têm vindo a aumentar em muitos países, muitas vezes a par do vírus da imunodeficiência humana (VIH)

Pesquisas recentes na China indicam que a causa é um aumento da promiscuidade e da prostituição, da diminuição da utilização de preservativos e de práticas sexuais desprotegidas entre homens homossexuais

Entretanto, estudos mais recentes indicam que a infecção entre os profissionais do sexo não é maior que entre os homossexuais e bissexuais em geral

Em 2015, Cuba foi o primeiro país a erradicar a transmissão de sífilis entre mãe e filho